SAÚDE MENTAL

POLÍTICAS, CUIDADO E ATENÇÃO À FAMÍLIA

  • Júlia Vitório OCTAVIANI
  • Ismael Mendes da SILVA
  • Cláudia Aline de Brito OLIVEIRA
  • Patrícia Carvalho MOREIRA
  • Brenna Rayana Castro GONDINHO
  • Maria Helena Ribeiro DE CHECCHI
  • Brunna Verna Castro GONDINHO
  • Luciane Miranda GUERRA

Resumo

O objetivo do presente estudo bibliográfico foi descrever as políticas, o cuidado e a atenção em saúde mental, voltadas às famílias de usuários dos serviços de saúde mental, foi realizado a partir da busca nas bases de dados Biblioteca Virtual em Saúde e, por fim, foram usados para a construção do texto 12 artigos. Concluiu-se que as políticas em saúde mental já compreendem a importância da participação (BVS), Literatura Latino-Americano e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SciELO) e  Periódicos Eletrônicos de Psicologia (PePSIC) e, nele, foram utilizados os Descritores em Ciências da Saúde (DeCS): Saúde Mental, Saúde da Família, Família, Psicologia, e Atenção; bem como cinco critérios de inclusão com o intuito de considerar os artigos mais relevantes para a pesquisa. O levantamento bibliográfico resultou em 65 artigos, a escolha dos artigos foi feita a partir da leitura dos títulos e resumos de todos os artigos identificados na busca eletrônica da família como merecedora de atenção e cuidado. Porém, tais políticas e as práticas voltadas às famílias ainda se configuram como um desafio para os profissionais da saúde que possuem dificuldade na atuação multidisciplinar e no foco no usuário.

Biografia do Autor

Júlia Vitório OCTAVIANI

Universidade de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão e Saúde Coletiva, Piracicaba, SP, Brasil

Ismael Mendes da SILVA

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto – USP, Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil.

Cláudia Aline de Brito OLIVEIRA

Universidade de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão e Saúde Coletiva, Piracicaba, SP, Brasil.

Patrícia Carvalho MOREIRA

Universidade Federal do Piauí. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Teresina/PI, Brasil.

Brenna Rayana Castro GONDINHO

Médica - FACID DeVry, Teresina/PI.

Maria Helena Ribeiro DE CHECCHI

Docente na Universidade Federal do Amazonas, Coari/AM.

Brunna Verna Castro GONDINHO

Docente na Faculdade de Odontologia e Enfermagem da Universidade Estadual do Piauí (FACOE-UESPI), Parnaíba/PI.

Luciane Miranda GUERRA

Docente na Universidade de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba FOP/UNICAMP, Piracicaba/SP.

Referências

Aires M. et al. A. Ações em saúde mental às famílias nos diferentes contextos de trabalho: revisão integrativa. Revista Gaúcha de Enfermagem. 2010 set.;.31(3):567-74.
Almeida MCL. Desinstitucionalização do tratamento psiquiátrico e gênero: o impacto causado na vida do cuidador do portador de transtorno mental. Sociedade e Estado. 2015; 2(21):345-363.
Borda LO, Schwartz E, Kantorski LP. A sobrecarga da família que convive com a realidade do transtorno mental. Acta Paulista de Enfermagem. 2008; 21(4):588-94.
Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União, Brasília, DF; 23 dez. 2011.
Brasil. Ministério da Saúde. Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil. Brasília: MS; 2005.
Brasil. Ministério da Saúde. Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde mental. Brasília, DF; 2013. p. 64. (Cadernos de Atenção Básica, 34).
Camatta MW, Schneider JF. O trabalho da equipe de um centro de atenção psicossocial na perspectiva da família. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2009; 43(2):393-400.
Cavalheri SC. Transformações do modelo assistencial em saúde mental e seu impacto na família. Revista Brasileira de Enfermagem. 2010; 63(1):51-7.
Dimenstein M., et al. Estratégia da Atenção Psicossocial e participação da família no cuidado em saúde mental. Revista Physis. 2010; 20(4):1209-26.
Lavall E., Oschowsky A., Kantorski LP. Avaliação de família: rede de apoio social na atenção em saúde mental. Revista gaúcha de enfermagem. 2009; 30(2):198-205.
Mello R. A construção do cuidado à família e a consolidação da reforma psiquiátrica. Revista de Enfermagem UERJ. 2005; 13:390-5.
Melman J. Família e doença mental: repensando a relação entre profissionais de saúde e familiares. 4ª ed. São Paulo; 2001.
Moreira W. Revisão de literatura e desenvolvimento científico: conceitos e estratégias para confecção. Janus. 2004; 1(1):19-30.
Ramos DD, Lima MADS. Acesso e acolhimento aos usuários em uma unidade de saúde de Porto Alegre. Caderno de Saúde Pública. 2003; 19(1):27-34.
Rosa LCS. A inclusão da família nos projetos terapêuticos dos serviços de saúde mental. Psicologia em Revista. 2005; 18:205-18.
Rosa LCS. A relação da família com o portador de transtorno mental. In: Rosa LCS. Transtorno mental e o cuidado na família. São Paulo: Publicações científicas; 2003. p. 235-367.
Santin G., Klafe TE. A família e o cuidado em saúde mental. Periódicos Eletrônicos em Psicologia. 2011; 34:146-60.
Schrank G, Oschowsky A. O centro de atenção psicossocial e as estratégias para inserção da família. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2008; 42(1):127-34.
Severo AK., et al. A experiência de familiares no cuidado em saúde mental. Revista Arquivos Brasileiros de Psicologia. 2007; 59(2).
Waidman A., Elsen I. O cuidado interdisciplinar à família do portador de transtorno mental no paradigma da desinstituicionalização. Texto & contexto enfermagem. 2005; 14(3):341-9.
Publicado
2020-05-27
Como Citar
OCTAVIANI, Júlia Vitório et al. SAÚDE MENTAL. REVISTA FAIPE, [S.l.], v. 10, n. 1, p. p. 85-95, may 2020. ISSN 2179-9660. Disponível em: <http://revistafaipe.lifesistemas.com.br/index.php/RFAIPE/article/view/199>. Acesso em: 30 oct. 2020.
Seção
Saúde Pública

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##